Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




por JOHN MALKOVICH

"Fico honrado por o ITI - Instituto Internacional do Teatro - me ter pedido para fazer este discurso comemorativo do 50º aniversário do Dia Mundial do Teatro. Vou então dirigir estes breves comentários aos meus companheiros de teatro, meus pares e meus camaradas.

Que o vosso trabalho possa ser apaixonante e original. Que ele possa ser profundo, comovente, contemplativo, e único. Que ele nos ajude a reflectir sobre a questão do que significa ser humano, e que esta reflexão seja guiada pelo coração, sinceridade, candura, e charme. Que consigam ultrapassar a adversidade, a censura, a pobreza e o niilismo, que muitos de entre vós serão obrigados a enfrentar. Que sejam abençoados com o talento e rigor para nos ensinar sobre o batimento do coração humano, em toda a sua complexidade, e com a humildade e curiosidade que faça disto o trabalho da vossa vida.

E que o melhor de vós próprios - porque só poderá ser o melhor de vós próprios , e mesmo assim apenas em raros e breves momentos –  consiga definir a mais fundamental questão 'como vivemos nós' ?

Desejo sinceramente que o consigam."

VA

publicado às 02:01
modificado por VA a 16/12/13 às 23:10


5 comentários

Sem imagem de perfil

De jpt a 27.03.2012 às 03:14

este é o tipo do nespresso, não é?

(o teatro não se faz com a razão? ou a "reflexão" tem que ser cândida? hum ....)
Sem imagem de perfil

De VA a 27.03.2012 às 12:58

ahahaha! Pois!
Assim anda o discurso, em época de crise de valores a razão é 'bicho' mau, o que prevalece é a emoção e a...candura?!
Deixei aqui porque é da praxe, não porque concorde na totalidade com as sua palavras 'humanamente' correctas... mas há um sentido de dádiva no que ele diz que é importante reter...mesmo assim, o discurso é muito mais cândido que o do ano passado, da Dame Judi Dench...:)
Sem imagem de perfil

De VA a 27.03.2012 às 13:07

oh Zé, e este não é o 'tipo do nespresso"...é só o melhor 'Valmont' de todos os tempos(é curioso como os vilões e os manipuladores nos fascinam) no filme 'Ligações Perigosas' do realizador inglês Stephen Frears
Sem imagem de perfil

De jpt a 27.03.2012 às 13:18

Pois é, apenas cumpri o papel de não ficar no "lik"ismo ... Achei muito bem. Quanto ao que me dizes sobre o sócio do Papaçorda (ou similares), vi-o qual São Pedro a vender café
Sem imagem de perfil

De VA a 27.03.2012 às 13:21

Sócio do LUX/Frágil...lol

comentar postal



Bloguistas




Tags

Todos os Assuntos