Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]




Upfront and Personal

por jpt, em 19.09.04

Uma belissima exposição de grafismo socio-político dos últimos trinta anos, incluindo material do Reino Unido, Botswana, África do Sul e Moçambique: "Upfront and Personal. Three Decades of Political Graphics from the United Kingdom plus Southern Africa Political Graphics", uma produção do British Council. Exposição originalmente dedicada ao material britânico e sul-africano e que tem vindo a ser complementada (e bem, em particular no caso moçambicano) com material dos países na qual ela é apresentada. A exposição é muito bem conseguida. Mas, e em particular no caso britânico, é politicamente enviesada, ou seja há um total predomínio do grafismo socio-político de esquerda, como se essa técnica comunicacional não fosse utilizada em todos os locais do espectro ideológico. A mim parece censura. Uma censura do comissariado do British Council. Típico de alguma esquerda, estas derivas censórias (um censor é sempre ignorante, claro). Mas não só. É também um caso típico do apagamento das forças mais conservadoras para "africano ver", um processo que procura apresentar as sociedades dos ex-colonizadores como desprovidos daquilo que mais rapida e superficialmente possa aqui ser associado ao regime colonial, ou aos seus herdeiros.

 

"Public relations" que é generalizado aos ex-colonizadores, tiques que se reconhecem de imediato. Aparentando pontes ideológicas entre as sociedades, falsas não porque ideológicas mas porque escondendo as diferentes realidades, as diferentes complexidades. Enfim, uma exposição de grafismo socio-político que é ela própria, e falo no material britânico em particular, um caso de grafismo político. (Ou seja, uma censura não apenas ignorante. Uma enviesamento que é arma política: o "sempre simpático" neo-colonialismo da esquerda europeia). Deste modo, um piscar de olhos à opinião pública dos países receptores da exposição? Talvez. Mas, curiosamente, mais abrangentes são as exposições relativas ao material desses países. Enfim, as eternas contradições que os "mais papistas que o Papa" provocam.

 

Mas esta crítica não impede de a considerar uma exposição a não perder. Até 8 de Outubro no Centro de Estudos Brasileiros. E ainda de assinalar, guloso, a distribuição gratuita de catálogos exaustivos e de muito boa qualidade. Bela oferta do BC.

publicado às 06:21


comentar:

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.



Bloguistas







Tags

Todos os Assuntos