Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]




Poachers

por jpt, em 05.05.13

 

 

Ao longo dos anos bloguismo várias vezes me insurgi face às direcções do Sporting. O estado calamitoso do clube advém das práticas que estas assumiram ao longo de quase duas décadas. Sufragadas por sucessivas eleições. Pois, tal com em tantos outros contextos, manteve-se na massa associativa a crença que as elites sociais e financeiras têm alguma ligação (afectiva, ética) com o "bem comum" das comunidades a que aderem ou pertencem. Tudo isso sublinhado, potenciado, pelo "poder simbólico" que ser da "elite" possibilita. E, tal como em tantos outros contextos, torna-se agora certo que essa ralé elitista é uma corporação criminosa. E, pior, traidora de tudo o que pode trair.

 

Dito isto, quanto ao Sporting, muito há mais do que isso. Este ano é exemplo. Uma enorme trapalhada vinda de uma direcção carregada de problemas criminais (o presidente, com mácula de cidadania; Luis Duque com as trapalhadas municipais, o pérfido Ricciardi, acho que autor de processo contra o "Correio da Manhã" por este jornal o ter noticiado como arguido, o polícia "vigilante", enfim, uma catástrofe de gente). Ene treinadores. Uma "remodelação" de plantel no Natal. A sombra da descida de divisão. Depois Jesualdo forma uma equipa, jovem, limitada, e vem ao de cima. Tentando levar o clube até às competições europeias, um pequeno balão de oxigénio diante de um horizonte tétrico. Pois num cenário de clube arruinado, com "500 milhões de euros de défice", como disse esta semana o presidente Bruno de Carvalho.

 

Depois disto, na ascensão com a pax jesualda, apenas dois insucessos: a) contra o Benfica: O árbitro João Capela trucida as leis. Dois penalties por marcar, para além de tanta outra coisa (livros não marcados; aquelas entradas a matar sem serem vistas nem expulsões acontecidas). Como alguém disse "errar sempre para o mesmo lado não é humano"; b) hoje, contra o simpático Paços de Ferreira, não assinalado um penalti para aos 60 minutos poder passar para a frente. Como pode um juiz-de-linha, aka "árbitro assistente" não ver aquilo? Como pode o "melhor árbitro do mundo" não entender assim? Só não querendo.

 

Sem mais, o Sporting, ainda por cima nesta situação económica-financeira, está a ser abatido. Estes árbitros não são "limpinhos" como se diz. São poachers. Assassinos da instituição. Haverá um feixe de causas para estas acções. Nenhuma "limpa".

 

Tão maus como eles seguem os "intelectuais" portugueses, tantos deles vozes públicas assalariadas ou ajornadas, que olham para isto com a flatulência mental do apenas clubismo, reduzindo esta minha mágoa à azia do adepto de sofá. Acredito, firmemente, que quem gosta desta aldrabice, gosta dela em tudo o resto. É gente sem princípios. Por isso mesmo o país está como está. Com estes "intelectuais" no "arco da governação". Meros receptores deste tráfico criminal de sensações futebolísticas, de proto-orgasmos esfuziantes. Disponíveis, com tal, a todo o outro tipo de mercadoria roubada, ilegítima ou anti-ética.

 

A pele acima será a do clube. Cada vez mais me parece que assim será o futuro, e por isso preparo o luto. Mas não me parece que seja só o dele. Há muito mais a extinguir. E esta gente não sossegará enquanto não o conseguir. É omnívora. E voraz.

publicado às 22:45


Bloguistas







Tags

Todos os Assuntos