Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]




...

por jpt, em 08.01.07

wieselnoite

 

"Antigamente, o dia do Ano Novo dominava toda a minha vida. Sabia que os meus pecados entristeciam o Eterno, eu implorava o Seu perdão. Antigamente, acreditava profundamente que de um único dos meus gestos, de uma só das minhas orações dependia a salvação do mundo.Hoje, eu já não implorava. Já não era capaz de me lamentar. Sentia-me, pelo contrário, muito forte. Eu era o acusador. E o acusado era Deus. Os meus olhos tinham-se aberto e eu estava só, terrivelmente só no mundo, sem Deus, sem homens. Sem amor nem piedade. Já não era mais do que cinzas, mas sentia-me mais forte do que o Todo-Poderoso ao qual a minha vida durante tanto tempo tinha estado ligada. No meio daquela assembleia religiosa, eu era um observador estrangeiro." (77)Elie Wiesel, Noite, Texto Editora, 2003 (tradução Paula Almeida)

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 02:09



Bloguistas







Tags

Todos os Assuntos