Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




Deixar de Fumar

por jpt, em 16.01.09

é difícil. Já me aconteceu. Intoxicado, cansado, enjoado. Deixo de fumar. No que é abandonar um sentido da vida, o cigarro, trocá-lo por outro sentido da vida, o não-cigarro, assim um sentido negativo para o dia-a-dia. O ser(-se) pela negação do acto. Pobre ontologia. Deficitária.

Depois, há sempre um depois, um dia um bom jantar, uma boa aguardente, e "é só este", um cigarrito. Depois, em breve, um outro, e logo mais outro, e lá estou de novo no ser pelo acto, pelo fumar. Um ser histriónico, infelizmente. Pois um superavit constante, diário.

Tal e qual o deixar de blogar. Cinco anos disto causam vício, modo de pensar. Vejo, ouço, sei, acontece algo e logo eu em reflexo "isto é bom para o blog". O primeiro cigarro, perdão, o primeiro post que "é só este", o segundo logo depois e então lá virá o maço ou dois diários.

Nesta tentativa nada vã, alguns meses fora, três recaídas fortes, três momentos de radical "isto é bom para o blog":

a) Há já tempo atrás uma excelente entrevista de Adriano Moreira ao Expresso. Entre tanta coisa interessante (a sua visão de Salazar é crucial) um comentário sobre as eleições americanas de 2008. "Mccain ou Obama?" perguntaram-lhe. E o velho senhor lapidar, num qualquer coisa como "estou como o outro disse, amanhã é o melhor dia, Bush vai-se embora". Quase saltei para as teclas, a contrapor Adriano Moreira a tanto bloguista português, dessa propalada "direita inteligente" (Blasfémias e satélites), bacocos num falso liberalismo a (não)-esconder um velho e oco reaccionarismo comunitarista. Anos de bloguismo completamente bushófilo, americanófilo (até à merda do criacionismo acorreram). Sem qualquer critério, sem sequer a herança da direita europeia. E, nessa radical superficialidade (hayek ou hayeck?, como símbolo da parvoíce de sacristia), carregados de leitores, a mostrar bem o vácuo bloguista. E a continuada pobreza do espectro intelectual português.

b) Há alguns dias, de regresso à internet, a ver a maluquice actual dos bloguistas portugueses, o "ter que estar no twitter", o ter que estar na crista da onda, o hiper-vazio do hiper-momento. O nada com aparência de acto. Tudo explicado no blog Ana de Amsterdam: "uma coisa um bocado parva", remata.

c) Anteontem festa. Eu atrás do balcão, por breves momentos. Mau sinal, normalmente. No meio daquilo cruzo uma conversa, uma amiga a falar do "facebook". "Que é isso?", pergunto, "para que serve?". "Ele tem um blog", avisam-na. "Não leio blogs", diz-me, "Quem tem um blog que escreva um livro", remata. "No alvo", penso. "Mais uma tequilla!", digo.

E vou ver se escrevo um livro. E se deixo de fumar.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 12:14


18 comentários

Sem imagem de perfil

De catarina a 16.01.2009 às 15:36

Não tem nada a ver escrever *num* blog com escrever *um* livro. Sim, claro que há blogs que são literários, que podem ser esboços de livros, mas blogar não é escrever um livro. É imediato, efémero, não tem fio, não tem história, não tem lógica, é só assim, apetece escrever qualquer coisa e siga.
Sem imagem de perfil

De jpt a 16.01.2009 às 15:44

obrigado pelo convite para o facebook, já lá estou (foi imediato, acho que o post ainda estava quente quando chegou o teu e-mail)

livro e blog? claro que tens razão. Mas ali a meio da noite foi mesmo "mais uma rodada".
beijos ó facebookeira
Sem imagem de perfil

De catarina a 16.01.2009 às 15:56

Coincidência mesmo, nem tinha visto o post, só vi quando comentei. Aquilo tem graça, o Facebook.

O que é preciso é que daqui saiam mais posts. Sem desfazer de futuros livros. Beijos e bom regresso.
Sem imagem de perfil

De carlos a 16.01.2009 às 16:08

blogue, livro ou guardanapo de papel. não confiar na memória que 'o melhor' perde-se.
o nome da doença é "verbalização dos silêncios".
nunca parar: é crónica, mesmo que com fases de remissão.
as caixas de comentários são óptimas nalgumas variantes... (smiley a assobiar para o lado)
Sem imagem de perfil

De Pitucha a 16.01.2009 às 17:56

Blogar é um vício, de facto. Quantas vezes pensei deixar...e não o fiz. Não é livro, mais diário, como os que escrevia em pequena, com fecho e chavinha dourada. Só que aqui, sem pudor, face a esse mundo desconhecido e virtual.
Facebook? Nestas coisas modernas sou reticente, lenta mesmo. E o nome, talqualzinho o BI (que exagero!), não sei não...Mas vou pensar que o cinzento em Bruxelas convida a tal.
Bom fim-de-semana.
Sem imagem de perfil

De Jaime a 16.01.2009 às 18:12

Fumar faz mal... Faz sim senhor!
Blogar não faz mal... não senhor!
Bom e feliz retorno, caro JPT.

Jaime
Sem imagem de perfil

De Joni a 17.01.2009 às 05:38

Bom regresso à prosa caustica
Sem imagem de perfil

De JSP a 18.01.2009 às 03:00

Bem vindo de volta!
Sem imagem de perfil

De JSP a 18.01.2009 às 03:01

Com hífen. :|
Sem imagem de perfil

De Duarte d'Oliveira a 18.01.2009 às 04:12

Pois, fumar…

Para mim não será um vício, mas um hábito – um hábito com cerca de cinco dezenas de anos. Sabe-me bem fumar um cigarro depois das refeições, outro enquanto converso, outro mais enquanto escrevo…

Anunciarei no JSA o seu retorno à blogosfera.

Entretanto, acendo um cigarro.

comentar postal


Pág. 1/2



Bloguistas







Tags

Todos os Assuntos