Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




 

Abaixo transcreve-se um interessante artigo de João Cabrita, no qual o autor contesta a versão histórica de Hélder Martins. Motivo suficiente para aqui lembrar o livro em causa, as memórias de Hélder Martins, "Porquê Sakrani? Memórias dum Médico duma Guerrilha Esquecida" (Maputo, Editorial Terceiro Milénio, 2001). Na minha opinião é um documento muito interessante - eu não partilho da ideia de que as memórias de alguém são a verdade histórica, mesmo que a intentem retoricamente. E como tal sempre sorrio às críticas surgidas a cada livro de memórias - ótpimas, porque tendem a induzir novos textos, novas versões. E interessam-me muito mais as múltiplas versões e os sonoros silêncios. Mas este "Porquê Sakrani?", a auto-biografia de uma personalidade riquíssima da história do Moçambique independente, antigo ministro, personalidade conhecida pelas suas idiossincracias intelectuais e vivacidade com que sempre as defendeu, tem também o interesse de ter sido um dos primeiros textos do tipo,  com toda a certeza influenciando a vaga (relativa, é certo) de publicação de memórias que a sociedade moçambicana tem conhecido. E, em meu entender, é desse cruzamento de auto-histórias que encontraremos o que é realmente interessante: os ambientes intelectuais, os de um passado cada vez menos recente, e os da actualidade.

 

Não sei como estará o acesso ao livro. 1300 exemplares editados há já quase uma década fazem-me prever a sua inexistência, ainda que de quando em vez se encontrem exemplares à venda. Aos leitores, em encontrando um desses é comprá-lo, será um dispêndio muito adequado.

 

jpt

publicado às 00:10


3 comentários

Sem imagem de perfil

De Jose Duarte a 12.08.2011 às 13:55

Excelente livro. Memória não são nem nunca foram "história". Mas para qualquer historiador fazem parte das fontes essenciais para a fazer História.
Sem imagem de perfil

De AL a 12.02.2010 às 01:23

Sou uma das sortudas 1300 pessoas que tem um exemplar e tambem eu o achei interessantissimo. Gostei mesmo bastante do livro; li-o de um folego. Tal como tu nao tomo memorias por verdades historicas; e' realmente de testemunhos assim que as epocas se vao (a)percebendo.
Sem imagem de perfil

De ABM a 13.02.2010 às 19:54

Nunca ouvi falar. Então...o que é que ele diz?

comentar postal



Bloguistas







Tags

Todos os Assuntos