Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




Novo livro de Ungulani Ba Ka Khosa

por jpt, em 18.11.09

Lançamento hoje às 18 h. (no Restaurante Zambi - um muito recomendável local gastronómico, já agora, não passe a publicidade que é descarada ainda que gratuita) do novo livro de Ungulani Ba Ka Khosa, "Choriro". Logo à noite mostrarei a capa.

Aproveito para lembrar que por razões endo-maschambianas tenho-me abstido aqui de comentar coisas relativas à literatura moçambicana (os veteranos leitores do blog saberão do porquê do silêncio deste "branco desmiolado, descobridor de África qual "Vasco da Gama", mentiroso, e que deveria ser expulso do país para os orientes onde lhe cortariam a cabeça"). Por isso não tenho referido o intenso processo de reedições de ficção (e até de poesia) nem o surgimento de novas editoras. Nem tampouco a edição de novos livros e, até, de novos autores, estes principalmente em colectâneas. Basta procurar (fisicamente aconselho a Minerva Central e a Mabuko, as mais activas livrarias maputenses no momento; na internet há ainda um grande deficit de apresentação, pese embora o saudável esforço da veterana Ndjira ). Fica esta nota-excepção, empurrada pelo meu apreço pelo Khosa.

[Breve nota informativa sobre livro e autor no Notícias.]

jpt

publicado às 08:44


2 comentários

Sem imagem de perfil

De umBhalane a 18.11.2009 às 10:33

Também me parece que Khosa o merece.

Também não me alongo muito mais...embora pós-renovada-consulta ao estatuto o permita.
Sem imagem de perfil

De Fernanda Angius a 21.11.2009 às 23:12

Tive o privilégio de ler textos de Ungulani Baka-kosa alguns anos antes dele ter sido publicado. Mia Couto, a quem eu pedira que me desse a conhecer as peomessas da furura literatura moçamcina, deu-me a ler textos do Suleiman Cassamo e de Ungulano Baka-kosa.«A ORGIA DOS LOUCOS»ainda em forma de conto.
A capacidade descritiva, acompanhando um espírito criador e imagistico faz-nos saempre ficar amarrados ao texto esperando a recelação ou o desnudar de umn mistério que nenhuma previsibilidade deixa antever. Mesmo nos textos históricos ele consegue vestir os factos de imaginário realístico seguibndo as boas influências de Garcia Marques seu primeiro mestre.
Parabéns, Ungulano e espero ler o teu livro em breve.
Fernanda Angius

comentar postal



Bloguistas







Tags

Todos os Assuntos