Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]




A propósito da Gulbenkian

por jpt, em 18.05.15

gul.jpg

 

 

Leio a correr umas coisas no jornal Público sobre alguns acontecimentos na Gulbenkian, mais sobre as malevolências coloniais da mentalidade dominante na Gulbenkian e noutras instâncias culturais privadas portuguesas e mais sobre a censura ao livro do Kannemeyer e mais sobre não sei bem o quê que afastou quem lá deve estar ou o que lá deve estar ou qualquer outra coisa que não percebo lá bem o que é ... só que alguém anda chateado com alguém e que há nisso sempre grupos de apoiantes.

 

E lembro-me de há cerca de uma década quando andei a apagar fogos lá em Maputo, a convencer os justificadamente irados amigos, tratados como se lixo fossem, a não romperem com aquilo que agora guincha em Lisboa ser muito  moderno e progressista. E também me lembro de nojo que me transmitiram quando um muito importante pacóvio português por lá passou a inaugurar uma grande exposição, a vomitar desprezo em formato "vocês precisam de um branco para montar as coisas". E lembro-me bem de como tentei explicar o que se passava: "tens que compreender o que é um paneleiro de lisboa", os ademanes e nojices que expele o referido "género". Vá lá, compreenderam e lá - por interesse mútuo - se fizeram as coisas "lusófonas" que os "modernos" e "progressistas" de Lisboa queriam fazer.

 

São estes "bem-pensantes" que agora dançam can-cans, canibalizando os Kannemeyers para usarem nos seus interesses privados, e gritando "colonos" aos outros. A gente envelhece e ri-se. As décadas passam e a m... lisboeta é a mesma.

publicado às 02:19



Bloguistas







Tags

Todos os Assuntos