Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Escolhas do fim de ano II

por jpt, em 30.12.03

[fui adolescente nos anos 70. Lá onde era isso significava ler, também, a Rock&Folk. E foi nela, estou certo, que li e reli aquela frase de um jornalista americano, dita bem nos inícios da década e depois célebre. Qualquer coisa como “eu vi o futuro do rock n’roll e chama-se Bruce Springstein”. Agora que passou tanto tempo que o Springstein é já o passado do rock n’roll, ou se calhar é mesmo o rock que é o passado, houve uma noite em que me lembrei dela, que raio de memória, atafulhada de pequenos, esconsos (insignificantes) detalhes. Foi a...] 21 de Agosto, Café com Letras - e este é também uma boa escolha, hoje o bar do Naguib é o mais bonito de Maputo, ainda por cima com a Catembe fronteira a ajudar (Ka Tembe, um nome para o bar que falta do outro lado).

 

Jazz, o grupo de Celso Paco. Convidado Sérgio, um marimbeiro jovem. Durante algum tempo, três trechos lembro, apenas o baixo a marcar, como lhe era pedido, a bateria de um Celso cadenciado, excelente a saber não ser exuberante, a provocarem uma enorme e suave tensão, e a marimba do Sérgio a soltar-se, mas solta num diálogo muito ritmado, compassado, insistente, bem afirmativo do trio tenso, num som compacto.

Excelente. Mais do que excelente. O melhor que já ouvi em Moçambique. Ainda que soasse a esquiço, ou talvez por isso mesmo. Estava ali um caminho muito original. E, aleluia, sem quaiquer preocupações, dessas que por aqui ainda subsistem, das essências musicais, da tradição, da moçambicanidade, apesar da marimba estar lá. [Tensão tanta que todas as conversas interrompidas, e o nosso grupo estava muito animado, a despedir umas patrícias aqui há muito professoras. Um velho à mesa a dizer “eh pá, isto é muito ECM!”, ok, ok, dá para ilustrar o texto ainda que seja falso.]

 

Fantástico e, claro, "eu vi o futuro da música moçambicana, e chama-se...". Vou-lhes dizer isso, mas agradecem entre sorrisos enquanto desiludem, que não estão a pensar avançar muito naquilo, foi só para brincar naquele dia. Ah, conhecesse eu algum produtor musical!

publicado às 15:11


Bloguistas




Tags

Todos os Assuntos